NOTÍCIAS

Assembleia Legislativa recebe Roda de Conversa com mães de crianças neuroatípicas

Por Diretoria de Comunicação da Aleam

07.jun.2023 14:00h
img
Foto: Hudson Fonseca

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), por meio da Escola do Legislativo “Senador José Lindoso” recebeu, nesta quarta-feira (7), roda de conversa promovida pela instituição Espaço de Mediação Escolar (EME), com mães de crianças portadoras do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e profissionais especializados no tratamento, para informá-los dos tratamentos mais modernos, como o óleo de Canabidiol (CBD).

O Espaço de Mediação Escolar é um espaço privado que atende crianças atípicas, com TEA ou Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). De acordo com a coordenadora do EME, professora Vitória Silva, mãe de uma criança com TEA, a ideia do instituto é alfabetizar essas crianças através de um método específico.

“A gente tem alcançado grandes resultados. Crianças que chegam ao nosso espaço, estão saindo alfabetizadas em torno de três a seis meses. Hoje, estamos aqui para dizer a essas mães que elas não estão sozinhas. Por isso, trouxemos uma psicóloga especialista em TEA, um fonoaudiólogo e um representante de uma empresa que comercializa óleo de CBD, para explicar quais os benefícios do tratamento”, afirmou.

O fonoaudiólogo Thiago Pinheiro, presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia da Região Norte, disse que qualquer evento que traga informação aos pais e mães de crianças com TEA se torna um evento de multiplicadores.

“A fonoaudiologia trabalha todos os aspectos inerentes à comunicação humana. Então é visível que a criança ou a pessoa com autismo tem essa dificuldade de comunicação ou interação. Às vezes ela até fala, mas de forma mecânica, então fonoaudiólogo é o profissional habilitado que irá direcionar e tratar juntamente com a tríade: fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e o psicólogo, para que ela possa se inserir socialmente e suas habilidades serem potencializadas, para que ela possa se inserir na sociedade e desenvolver sua individualidade”, explicou.

Bruno Rodrigues, da empresa Laurel CBD, explicou que em Manaus já existem diversos médicos aptos a prescrever o medicamento. “Nossa empresa nasceu da necessidade de ofertar o CBD aos moradores da região Norte, o CBD realmente traz qualidade de vida, a literatura médica informa que os autistas passam a ter uma maior interatividade social, exercer funções normais no dia a dia”, disse.

 

CBD

O Canabidiol age como analgésico, aliviando a dor do paciente. Por isso, é muito indicado no tratamento dos sinais de doenças que causam dor crônica. Os efeitos do canabidiol também ajudam no alívio da dor associada a distúrbios nervosos.

Não há tratamento farmacológico estabelecido para os sintomas centrais do TEA e os psicofármacos usados nos sintomas adjuvantes têm eficácia limitada e efeitos adversos expressivos.

Nesse contexto, novos medicamentos são necessários para controlar os sintomas relacionados ao TEA e promover qualidade de vida para os pacientes e seus cuidadores.

 

TEA

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição heterogênea do neurodesenvolvimento precoce definida por déficits na interação social e na comunicação social, juntamente com padrões repetitivos de comportamento, interesses ou atividades.