NOTÍCIAS

Dan Câmara leva a plenário a situação das pontes dos rios Curuçá e Autaz-Mirim na BR-319

Por Assessoria de Comunicação

25.abr.2023 16:01h
img
Foto: Divulgação Assessoria

Dez vereadores dos municípios de Autazes, Careiro da Várzea e Nova Olinda do Norte compareceram, nesta terça-feira (25), a Cessão de Tempo no Legislativo estadual, concedida pelo deputado Dan Câmara (PSC), que teve como pauta a situação das pontes sobre os rios Curuçá e Autaz-Mirim na BR-319/AM, que vai de Manaus a Porto Velho. As pontes desmoronaram em setembro de 2022, deixando cinco mortos, 14 feridos e municípios da região em situação de quase isolamento.

A ausência maior no evento ficou por conta do superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/AM), Superintendência Regional do Amazonas, Luciano Moreira de Sousa Filho que, pela segunda vez, não atendeu ao convite do parlamentar. “Estivemos com ele em 20 de março, levando uma comitiva de 25 vereadores de cinco cidades, para cobrar parceria e providências em relação à celeridade na solução do problema”, declarou Dan Câmara, complementando que desde então nenhuma melhoria foi notada pelos cidadãos e a comunicação com o órgão parece mais difícil.

Panes secas de empurradores das balsas, que chegam a levar mais de duas horas para retornar ao funcionamento; multas constantes a moradores de Careiro da Várzea à margem do desvio estabelecido para a estrada e; portos que não funcionam foram algumas das situações relatadas pela comitiva parlamentar interiorana no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas.

O vice-presidente da Câmara de Autazes, Fernando Oliveira, narrou que há um estado de calamidade pública instalado. “Não temos condição de remoções na área da saúde, pessoas que fazem hemodiálise, rádio e quimioterapia perdem as consultas e sessões de terapia, isso sem falar de outras áreas”, explicou. O vereador autazense falou da necessidade de substituição de balsas e empurradores obsoletos, compromisso que já havia sido assumido pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) entretanto, decorridos mais de trinta dias da reunião, nada aconteceu.

Regilson Brito da Silva, representante da Câmara Municipal de Careiro da Várzea denunciou que pessoas que moravam quase às margens da BR estão sendo expulsas de suas casas e de suas terras. “Como eles, DNIT, mudaram o traçado da estrada para atracação das balsas, algumas casas ficaram realmente na margem e os moradores estão sendo convocados a deixar seus imóveis e recebendo multas diárias, sendo que não há qualquer oferta de solução para nova moradia, é um absurdo”, concluiu.

Dan Câmara afirmou que Autazes, Careiro Castanho, Careiro da Várzea, Manaquiri e Nova Olinda do Norte são as cidades diretamente prejudicadas pelo problema, que se arrasta há mais de seis meses, sem um horizonte de solução. “Vamos estabelecer um canal de diálogo com a bancada federal do Amazonas, na tentativa de uma prioridade à solução desses problemas, que são de competência federal, visto se tratar de uma BR”, antecipou.
O parlamentar concluiu dizendo que há uma placa que fala de conclusão das obras até outubro de 2023, com prorrogação máxima até janeiro de 2024. “Mas, duvidados que isso aconteça, pelo menos no ritmo em que se encontra. É preciso priorizar aqueles cidadãos e ter respeito por eles”, avaliou.