NOTÍCIAS

Deputado Dermilson Chagas faz denúncias contra gestores do Governo do Amazonas

Por Assessoria

11.ago.2021 11:06h
img
Foto: Márcio Gleyson

O parlamentar disse que a gestão de Wilson Lima está promovendo perseguição a servidores na Cosama e na TV Encontro das Águas e que também está revelando atos ilícitos praticados pela Secretaria de Comunicação e pelo próprio governador

O deputado Dermilson Chagas utilizou a tribuna do plenário Ruy Araújo, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), para criticar a postura do Governo do Amazonas, que, mesmo diante de vários escândalos envolvendo gestores que cometem atos ilícitos ainda mantém esses servidores em seus cargos, apesar de farta materialidade.

O deputado lembrou que, em junho deste ano, os funcionários da Cosama gravaram áudios de uma reunião liderada pelo diretor-presidente da Companhia, Armando do Valle, que exigia que os servidores praticassem crimes eleitorais para beneficiar o governador do Amazonas. Ele também lembrou que, em 27 de julho, a jornalista Nauzila Campos, da TV Encontro das Águas, veio a público, por meio de suas redes sociais, para delatar prática de “rachadinha” com pagamentos de diárias de funcionários da emissora, que teria sido praticada pelo diretor-presidente da emissora, Oswaldo Lopes, e um servidor concursado, Welder Alves.

“Um governo que coage, persegue, ameaça, amedronta e humilha servidores públicos honestos que não compactuam com as suas práticas criminosas. Este é perfil dos gestores das secretarias e órgãos que compõem o atual Governo do Amazonas e que está sendo exposto em praça pública pelos funcionários da Cosama e da TV Encontro das Àguas”, comentou o deputado, que protocolou uma notícia-crime no Ministério Público, solicitando apuração do caso.

Dermilson Chagas disse que, em ambos os casos, a população do Amazonas está assistindo à degradação do que se tornou a atual gestão do Governo do Amazonas, que, em meio a uma grave crise sanitária global deixa milhares de amazonenses morrerem e pratica diariamente terrorismo psicológico com servidores que só querem manter a sua integridade moral e física.

“A prova de que os desmandos deste governo chegaram ao ápice do absurdo é o desabafo coletivo realizado por esses servidores que estão sendo submetidos à perseguição diária. Essas perseguições causam transtornos psicológicos que acompanharão essas pessoas para o resto da vida, portanto é necessário que seja feito algo urgentemente para salvar esses servidores e devolver-lhes a saúde mental, pois a maioria já vem sofrendo os efeitos desse longo período de pandemia e agora sofrem perseguições diárias de um governo obcecado pelo poder”, disse o deputado.

Pedalada’ de Wilson Lima

Na última quinta-feira (5/8), Dermilson Chagas comentou que o ato do governador Wilson Lima ter feito uma “pedalada” com os recursos destinados ao pagamento de servidores públicos estaduais, foi imoral e indecente. O comentário do parlamentar foi feito após a divulgação na imprensa de um áudio da secretária executiva de Comunicação do Governo do Amazonas, Cristiane Mota, no qual confirma que Wilson Lima mudou as datas de pagamento para fazer uma “pedalada”.

“O que ele praticou contra o servidor público foi imoral e indecente. Muitos deixaram de pagar as suas contas no dia do vencimento, porque eles já tinham toda uma programação. E agora vem a própria secretária dele dizendo que ele ‘pedalou’, que ele praticou esse ato, machucando o servidor público mais uma vez. Foi um ato de covardia. Infelizmente, nós estamos vendo ações do Governo cada vez mais duvidosas, que comprometem o cidadão de bem. E quem se prejudica com isso é o pobre, é o servidor público, e não ele, que recebe muito bem para gerir o Estado”, afirmou o parlamentar.

Em outubro de 2019, Wilson Lima mudou as datas de pagamento dos funcionários que eram realizadas nos últimos dois dias do mês. Na gestão Wilson Lima, os pagamentos passaram para os 3º e 4º dias úteis do mês seguinte ao mês trabalhado. Segundo matéria divulgada pelo portal Zero Hora do Amazonas, a mudança foi feita para que o Governo do Amazonas pudesse afirmar que “em janeiro de 2020, o valor global do arrecadado no fim de ano de 2019, nos meses de novembro e dezembro, foi superior ao mesmo período do ano de 2018, quando Amazonino Mendes estava como governador”.

Ainda segundo o portal, no áudio, a secretária executiva de Comunicação afirma: “Isso aí é – falando entre nós aqui – mais uma pedalada do Governo, porque a gente não pode ficar explicando muito não e nem precisa do Alex (Del Giglio, secretário da Sefaz). É só dizer que o Governo do Amazonas nega ou repudia qualquer informação que coloque (…), que traga insegurança ao servidor. Em momento nenhum afirmou que não haverá pagamento de salário e, sim, assegurou que não haverá atraso. O próprio governador falou isso. E que não vai haver atraso em 2020 e que não há atraso esse ano e que houve uma alteração na programação de pagamento, atendendo a uma necessidade do governo de ajustar as contas, igual tá lá naquele parágrafo que eu escrevi porque não tem como falar muita coisa, entendeu? Não tem que ficar explicando. Na verdade, é só negar e repudiar e dizer que o governo tranquiliza o servidor”.

Covid-19

O mais recente vazamento de áudio foi o do secretário executivo adjunto de Imprensa, do Governo do Amazonas, Artur César Cunha Santos Jr., que enviou mensagem, no qual afirma, que os textos enviados pelas assessorias das secretarias e fundações vinculadas à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) iriam ser editados, concentrados com a secretaria executiva de Comunicação, Cristiane Mota, que iria, pessoalmente, aprovar juntamente com a então secretária de Comunicação, Daniela Assayag, e o ex-titular da SES-AM, Rodrigo Tobias. No áudio, é revelado o complô para os textos não serem enviados para a assessoria da SES-AM, coordenada pela jornalista Roseane Mota, para não haver interferência dela na redação final dos textos.

“Este é o segundo áudio vazado, que mostram denúncias graves. O primeiro falando sobre a ‘pedalada’ do Governo em relação ao salário dos servidores estaduais, e o segundo é sobre a manipulação de dados e informes sobre a pandemia de Covid-19. Ao que tudo indica, me parece que houve manipulação dos dados. É uma denúncia grave, que, no mínimo, deve ser investigada pelo Ministério Público, e esses servidores que cometeram esse ato devem ser afastados de seus cargos”, comentou o parlamentar.

Skip to content