NOTÍCIAS

Promovida por iniciativa da lei de Daniel Almeida, Marcha da Família Contra as Drogas reúne centenas de pessoas em Manaus

Por Sharleny Oliveira

17.jun.2024 17:58h
img
Foto: Gilson Mello

Na sexta-feira (14/6), ocorreu a 2ª edição da Marcha da Família Contra as Drogas, que teve um marco importante ao entrar oficialmente para o Calendário Oficial do Estado. A Lei nº 6.349/23, de autoria do deputado estadual Daniel Almeida (Avante), instituiu o Dia Estadual da Marcha da Família Contra as Drogas no Amazonas.

O evento teve como ponto de concentração a praça da Matriz, com uma caminhada até a praça dos Remédios, no Centro, e contou com diversas atividades programadas durante o percurso, como apresentações de fanfarras e participação dos jovens do projeto Formando Cidadão da Polícia Militar do Amazonas.

O engajamento recebeu apoio de instituições como escolas, universidades, clínicas de reabilitação, igrejas e grupos de apoio, que se uniram contra o impacto das drogas na sociedade.

De acordo com a organização do evento, 1.500 pessoas estiveram presentes no local.

Marcha da Família

A Marcha da Família contra as Drogas, este ano, entrou na 2ª edição e tem como referência a Lei n. 6.349/23, que, por meio do Projeto de Lei de autoria do deputado Daniel Almeida, aprovado na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), instituiu o Dia Estadual da Marcha da Família Contra as Drogas no Amazonas, realizado todo dia 10 de junho.

Propósito

Para o autor da lei, o objetivo do movimento é conscientizar a população sobre a importância da prevenção e os impactos negativos do uso de substâncias ilícitas.

Busca-se enfrentar o crescente problema do uso de drogas e seus efeitos na sociedade.

“É um ato de conscientização e de amor, principalmente aos dependentes químicos, àqueles que moram nas ruas. A sociedade não está de olhos vendados para estas pessoas. Nós temos políticas públicas para alcançar quem vive em situação de vulnerabilidade social. Inclusive, as comunidades terapêuticas presentes estão oferecendo acolhimento a quem busca internação”, disse o deputado Daniel Almeida.