NOTÍCIAS

Wilker Barreto repudia divulgação de “fake news” envolvendo seu nome e de seus familiares e cobra investigação contra portais que recebem recurso público

Por Assessoria de Comunicação

28.jun.2023 14:44h
img
Foto: Divulgação Assessoria

O tema Fake News, que são notícias falsas veiculadas por determinados veículos de comunicação, foi assunto durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta quarta-feira, 28. Quem levou a discussão foi o deputado estadual Wilker Barreto (Cidadania), após o parlamentar ter o seu nome e do irmão, Wilame Barreto, envolvidos em matérias com informações inverídicas a respeito da Operação Dente de Marfim, deflagrada pela Polícia Federal (PF) na última sexta-feira, 23.

Em seu pronunciamento na tribuna, Wilker repudiou a “rede de fake news” orquestrada por portais de notícias e blogs locais contra agentes políticos do Estado, que tem como alvo quem faz denúncias e colocam em pauta assuntos que desagradam setores e pessoas que tem envolvimento com os mesmos. Na ocasião, o deputado exibiu prints de matérias caluniosas que tentaram associar Barreto e seus familiares como alvos nas investigações da PF. As informações falsas tiveram como base o endereço do deputado e de seus familiares, que residem no mesmo local em que ocorreu a Operação, entretanto, a deflagração não tinha qualquer ligação com o parlamentar que é Líder da Oposição.

“É um assunto que não acontece só comigo e sim com qualquer deputado desta Casa, basta contrariar interesse. Sexta-feira passada teve operação da PF no condomínio onde moro e esses portais, que nem posso chamar de notícia, colocaram o meu irmão como alvo. Isso não é jornalismo, isso é uma vergonha, num intuito claro de atingir políticos, e o mais grave: recebendo dinheiro público”, ponderou Barreto, em tom duro.

Na ocasião, Wilker também criticou os ataques cibernéticos sofridos por jornalistas e meios de comunicação que veiculam denúncias contra as administrações públicas. “Quando os jornalistas que fazem oposição postam matérias contra o Governo e Prefeitura na internet, eles recebem uma enxurrada de robôs no intuito de derrubar a página, numa clara tentativa de intimidação”, frisou o deputado, que é vítima de fake News desde o seu primeiro mandato na Casa Legislativa.

Medidas

Wilker cobrou medidas enérgicas tanto dos Poderes quanto dos órgãos públicos do Estado para o combate das redes de desinformação cometidas por alguns portais e blogs de notícias, e que enviará um requerimento à Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) solicitando informações sobre os pagamentos da pasta às agências de notícias e a devida prestação de contas dos contratos.

“Estou formalizando aos poderes, ao Tribunal de Contas, Ministério Público, ao Governo e a esta Casa, que possamos banir portais que não têm a responsabilidade de informar corretamente a população. Eles não podem estar sendo financiados por órgãos públicos com intuito claro de atingir aqueles que se opõem. Vou oficializar a Secom porque eles repassam os valores para as agências que fazem o que querem com o dinheiro do contribuinte, temos que saber quem recebe esses valores, tem que prestar conta. Precisamos combater duramente as fakes News”, pediu Wilker, que recebeu o apoio do colega parlamentar Sinésio Campos (PT).

Por fim, o deputado pediu mais respeito à sua família e defendeu o bom jornalismo como fundamental para o exercício da cidadania. “Nós defendemos o bom jornalismo, a informação verdadeira, não a mentira. Deixo meu desagravo à minha família e meu repúdio ao portal de notícia que não faz jornalismo. Quanto melhor e mais informada for a sociedade, quem ganha é a democracia”, finalizou.