NOTÍCIAS

Wilker pede convocação do presidente da Cosama para explicar ameaças a servidores

Por Nathália Silveira - Assessoria

01.jul.2021 9:23h
img
Foto: Dayson Valente

Em Sessão Ordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta quarta-feira (30) o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) pediu celeridade ao requerimento que pede a convocação do diretor-presidente da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama), Armando Silva do Valle, à Casa Legislativa. Autor da matéria, o parlamentar quer explicações acerca do áudio que o gestor pressiona e ameaça funcionários do órgão para defender o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) nas redes sociais.

Em seu discurso na tribuna, Barreto solicita que a Mesa Diretora coloque para aprovação e agende uma data para a convocação de Armando no Plenário da Aleam para prestar esclarecimentos sobre a gravação, conforme denúncia do Ministério Público Estadual do Amazonas (MPE-AM).

“Peço que a Mesa diretora determine ao setor competente que marque uma data da vinda do Armando do Valle em sessão ordinária para que a gente possa questionar este diretor que faz coação na Cosama e usa a máquina pública de forma descarada. Precisamos tirar isso a limpo porque as denúncias são graves”, cobrou Barreto.

O deputado voltou a criticar a atual gestão pelos envolvimentos em casos de corrupção e ironizou o lançamento do Programa Nacional de Prevenção à Corrupção no Amazonas, anunciado pelo Executivo na última segunda-feira, 28. “Me incomoda quando vejo o Wilson Lima dizendo que seu governo combate a corrupção; é brincadeira. Me incomoda quando eu vejo chefe de quadrilha, segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), dizer que sua gestão é transparente. Isso me revolta”, afirmou Wilker.

Oposição grampeada

Ainda nesta quarta, Wilker relembrou a suspeita de grampo telefônico ilegal feito pelo Governo contra ele e o colega Dermilson Chagas (Podemos), denunciada no dia 6 de junho de 2019. Na época, os parlamentares acusaram a Secretaria Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), a pedido do Executivo, de realizar espionagem com uso ilegal do “Sistema Guardião”.

Barreto afirmou que irá oficializar o Ministério Público Estadual do Amazonas (MPE-AM) para pedir respostas do caso.

“Quando nós formulamos a denúncia que deputados estaduais estavam sendo monitorados e grampeados de forma ilegal, é porque nós tivemos a informação. Mas quanto tempo isso dormita no MPE-AM? Por isso, peço que o presidente possa oficializar o órgão para informar ao parlamento estadual em que pé anda a denúncia”, finalizou.

Skip to content